Dólar e milhas possuem uma relação direta. Isso porque, na hora de vender as suas, a oscilação dessa moeda é um dos fatores que influenciam no valor final do seu ganho. Então, entenda a seguir o que isso significa e de que maneira pode afetar o seu negócio.

O que é a oscilação do dólar?

Essa moeda americana é usada como referência em transações comerciais em vários países. Portanto, é ela que impõe um preço em:

  • Produtos;
  • Investimentos;
  • Exportações;
  • Importações.

Logo, a oscilação do dólar é o resultado da oferta e da demanda de mercado. Dessa forma, como isso muda todos os dias, é natural que a cotação da moeda também sofra altas e quedas.

No momento em que “sobra” dólar, o seu valor é mais baixo. Mas, quando a demanda é maior, ou seja, com muitas pessoas adquirindo, a cotação sobe e a moeda fica mais cara.

Como a oscilação do dólar e milhas interfere na venda delas?

Tal fato tem importância porque interfere na forma como o usuário acumula milhas, bem como determina o quanto ele vai receber pela venda delas. Aliás, o preço das cotações varia não só com a oscilação, mas também com:

  • A quantidade de milhas;
  • Programa de fidelidade;
  • O prazo de validade;
  • Oferta e demanda.

Qual é a relação entre a oscilação do dólar e o acúmulo de milhas?

Há uma relação direta entre dólar e milhas. Por exemplo, ao comprar uma mercadoria ou pagar por um serviço com o cartão, acumula-se pontos.

De acordo com o programa de fidelidade do banco, a quantia paga pela anuidade do cartão e a categoria dele, a cada um dólar gasto, ganha-se uma milha.

A maioria das operações financeiras tem essa moeda americana como referência, não o real. Por isso, mesmo no Brasil, ela prevalece mais do que a própria moeda brasileira. Isso porque, as instituições bancárias operam com a cotação dessa primeira.

Mesmo que o usuário compre em território nacional e pague com o real, a pontuação é contabilizada em moeda americana. Dessa forma, as próprias operadoras convertem o valor para o dólar.

Para descobrir quantos pontos você vai acumular, é essencial ficar de olho na oscilação dessa moeda e no seu preço no dia do fechamento da sua fatura.

Dólar e milhas: como saber quanto receber por elas no dia de hoje?

Para isso, é necessário fazer uma cotação com alguma plataforma de compra e venda, como a Cash Milhas. 

O primeiro passo é informar a quantidade de milhas que deseja comercializar. Em seguida, preencher dados essenciais, por exemplo:

  • Nome;
  • E-mail;
  • Programa de fidelidade.

A empresa vai lhe enviar um formulário com o valor. Caso a cotação seja alta, isso quer dizer que as suas milhas estão supervalorizadas no mercado, portanto, é uma boa oportunidade para vendê-las.

Basta informar, então, os seus dados bancários e escolher a forma de pagamento. Aqui, há duas opções: a vista ou agendado. Lembre-se de que quanto maior for o prazo, mais você ganha em sua venda.

É importante dizer que na Cash Milhas, o vendedor conta com um ambiente seguro e eficiente. Além disso, todas as informações do titular são muito bem guardadas.

Atenção ao prazo de validade das milhas

Sempre fique atento a data limite. Ou seja, não deixe as milhas paradas esperando por uma chance melhor em relação à oscilação do dólar. É melhor vender do que deixar que elas expirem e perca o valor.

Mulher pagando com cartão de crédito, para acumular pontos e transferir para programas de fidelidade convertendo em milhas.

Cartões de crédito que valem a pena considerar com o dólar em alta

Você viu como funciona a relação entre dólar e milhas. Agora, essa moeda estrangeira tem estado em alta nos últimos tempos, acima dos R$ 5 reais. 

Dessa forma, acumular pontos na maioria dos cartões de crédito tem sido difícil, afinal, a conversão é realizada tendo a cotação do dólar como referência. 

A seguir, você vai conhecer alguns cartões que usam a moeda brasileira, isto é, o real como base para juntar milhas, veja.

1 – Ourocard Elo Internacional

Esse produto tem como banco emissor o Banco do Brasil. Assim, oferece um ponto a cada R$ 3 reais gastos, ou seja, quase 2 pontos por dólar, de acordo com a cotação atual.

A anuidade é de R$ 190 reais, no entanto, o cliente pode negociá-la, dependendo do volume de despesas com o cartão e do relacionamento com a instituição.

2 – Pão de Açúcar Itaucard Platinum e Gold

Ambas as versões desse cartão oferecem um ponto por cada real gasto. Portanto, com o dólar em cerca de R$ 5,60, ele acumula mais ou menos 5,6 pontos na conversão para o dólar. Logo, é um dos cartões mais vantajosos no Brasil hoje.

O Itaú é o banco emissor deste produto e o mesmo costuma participar de campanhas de transferência de pontos do cartão para um programa de fidelidade. Por exemplo, em uma promoção dessas com 110% de bônus, é possível acumular quase 12 pontos por dólar.

Demais cartões que podem ser usados para ganhar pontos

Conheça agora alguns cartões que pontuam na moeda americana e que, além disso, contam com diversas outras vantagens.

1 – Azul Itaucard Visa Infinite

Esse produto é o resultado da parceria entre a companhia de aviação Azul e o banco Itaú. Aqui, é possível acumular:

  • 3 pontos por cada dólar gasto em compras no Brasil;
  • 3,5 pontos por dólar em aquisições no exterior.

O aspecto positivo é que a pontuação não perde a validade, então, o portador desse cartão não precisa se preocupar com isso. 

2 – Porto Seguro Visa Infinite

Aqui, os pontos se dividem em três categorias, de acordo com o valor da fatura, entenda os detalhes a seguir:

  • 2,2 pontos por dólar em quantias superiores a R$ 6 mil reais;
  • 2 pontos por dólar em boletos abaixo desse valor;
  • 3 pontos por dólar em compras fora do país.

3 – Cartão Bradesco Elo Nanquim Diners Club

Para quem não sabe, a Elo é a única bandeira nacional que atua no mercado financeiro. Dessa forma, este cartão, acumula 3,3 pontos por dólar em compras internacionais, bem como 2,2 pontos em aquisições no Brasil.

Agora você já sabe tudo sobre a relação entre dólar e milhas. Então, fique atento às cotações diárias para fazer vendas lucrativas.