A época mais movimentada do ano está chegando e animando os mercados de todos os setores. E no mercado de milhas, o que podemos esperar?

Na área de turismo e lazer, esse período é aguardado com ansiedade: é justamente no final de ano que, com as férias escolares, aumenta consideravelmente a procura por destinos e passagens aéreas – momento ideal para verificar as milhas acumuladas nos programas de fidelidade.

Com as festas de fim de ano, aumentam também as possibilidades de compras pelo cartão de crédito que podem ser revertidas em pontos nos programas de fidelidade. E esses pontos podem ser convertidos em milhas, que ainda podem ser transformadas em dinheiro vivo.  

Como isso é possível? Bom, basta você aderir à compra e venda de milhas. Um negócio seguro e lucrativo, que está tomando conta da internet com a chance de aproveitar melhor os pontos acumulados nos cartões de crédito e as milhas dos programas de fidelidade.

Veja agora mesmo como fazer para acumular mais pontos, trocar por milhas e vender. E se você já aderiu a um programa de fidelidade, veja como vender suas milhas ociosas e faturar uma grana extra para fazer o que quiser aqui.

Um mercado que movimenta 500 milhões por ano

Este é o volume gerado pela compra e venda de milhas ou pontos de programas de fidelidade das principais companhias aéreas do mercado brasileiro. As contas são das próprias empresas do setor, e indicam um negócio que decolou e viaja em céu de brigadeiro.

Nesse mercado, é possível fazer o dinheiro girar de duas formas:

  • vendendo as milhas acumuladas nos programas de fidelidade;
  • comprando passagens emitidas por meio da troca de milhas pelas companhias e negociadas por empresas que compram as milhas de terceiros e, portanto, oferecem os bilhetes a um custo menor que o da própria companhia aérea.

Os valores para compra e venda de milhas são calculados como em uma Bolsa de Valores: as cotações diárias consideram a lei da oferta e procura por lotes de pontos nos programas de fidelidade. E aí, o consumidor pode escolher entre vender ou não suas milhas.

A chegada da crise também ajudou a turbinar os números desse mercado: a tendência é que, em um momento de aperto financeiro, o consumidor se lembre de resgatar seus pontos com maior freqüência do que se não estivesse precisando de reforço financeiro.

Como investir no mercado de milhas?

Se você achou interessante esse mercado, pode atuar como investidor, entrando para o ramo de compra e venda de milhas. A gente te dá algumas dicas de como empreender com sucesso neste segmento que não para de crescer!

 

  • Invista em Marketing digital

 

Este é o primeiro passo para manter sua marca em evidência. A gestão da presença online da sua marca precisa ser feita diariamente, garantindo que ela apareça nos motores de busca para os consumidores.

Vale sempre se lembrar daquela máxima: o que não é visto, não é cobiçado. Portanto, invista em marketing digital para garantir uma presença virtual eficiente.

 

  • Procure pelos nichos de mercado

 

Em todo ramo de atuação, existem nichos de mercado que permitem um ganho melhor ou mais freqüente. Nesses casos, a competição é menos acirrada e, assim, os investimentos em marketing digital tornam-se mais fáceis de serem aplicados.

Por exemplo: o que é mais fácil: falar para toda a população da grande São Paulo ou falar apenas com a população de mulheres LGBT+ nesta mesma localidade?

Fazendo um recorte como esse no mercado, a comunicação é mais assertiva e você tem a chance de acertar em cheio nichos que aguardam para serem explorados.

Basta você pensar quantas propagandas de turismo usando velhinhos como personagens você viu por aí para entender que há vários tipos de nichos esperando para serem identificados e devidamente explorados.

 

  • Fique atento às características do seu produto

 

As milhas aéreas possuem suas próprias características e são diferentes de qualquer outro produto no mercado. Se você quer empreender neste setor, precisa estar atento a essas características para garantir seu lucro.

Fatores como prazo de validade são muito importantes neste segmento. Além da data de expiração, também é preciso estar atento às vendas maiores do que o que está disponível em estoque, bem como evitar compras desnecessárias ou com baixa capacidade lucrativa.

conheça o mercado de milhas

 

  • Um olho na empresa, outro na legislação em vigor

 

A venda de milhas aéreas não é proibida por lei, mas essa transação não é bem vista pelas companhias de aviação. Isso porque você passa a ser um concorrente de peso para elas ao vender bilhetes com valor menor do que é praticado no mercado.

A ordem então é: acompanhar de perto toda a movimentação do mercado e ficar bem atento às mudanças que vão surgindo pelo caminho.

Frequentemente, vemos uma empresa adquirir outra, ou até mesmo abrir falência. Em outros casos, a própria regulamentação dos programas de fidelidade pode sofrer algum ajuste para reorganizar o resgate de milhas pelos consumidores.

Fato é que não existe nada que dura para sempre debaixo do sol da aviação e você precisa estar atento para não perder dinheiro investindo em algo que vai acabar logo depois da sua aquisição.

 

  • Estude sua concorrência

 

Aprenda com quem já está atuando no setor. Leia artigos, visite os blogs das empresas que já estão trabalhando com a compra e venda de milhas e entenda como eles lucram com essa operação.

É tentador pensar que se eles estão faturando, você também pode faturar, mas fique atento: nenhuma operação de sucesso foi construída da noite para o dia. Muito chão foi trilhado para as empresas conseguirem se estabelecer no mercado e se tornar referência no setor.

Faça todo esse estudo comparativo para entender bem como o mercado funciona, quais são os seus limites e as vantagens de investir nele. O que deu certo para os outros nem sempre vai dar certo para você.

Pontos e milhas parados = dinheiro parado

Pelos valores que mostramos, dá pra ver que o mercado é gigante e, muitas vezes, ocioso. Isso porque milhas paradas significam dinheiro parado. Assim como milhas vencidas significa dinheiro jogado fora.

Só para se ter uma ideia, estimativas do setor apontam que em 2016, mais de 50 bilhões de milhas acumuladas com o uso de cartão de crédito em todo o país expiraram.

Em meados de outubro de 2018, 10 mil milhas do programa Smiles da Gol estavam sendo cotadas em R$ 190 reais e o mesmo volume de milhas do Multiplus, da TAM, em R$ 265.

Se você fizer as contas pelos valores cotados como exemplo, vai concordar que é muito dinheiro desperdiçado: algo em torno de 1 bilhão de reais. Um valor considerável por si só, quanto mais em tempos de crise, não é mesmo?

Leia mais aqui sobre como funciona o mercado de milhas e entenda porque é um mercado seguro e promissor.